Uma noite de terror

Depoimento de Maria Lúcia Taveira, manicure em Araçatuba

Morava em uma casa na rua Dona Ida, jardim Santana, em Araçatuba. Certa noite, ao ir dormir, sentei-me na cama e comecei a orar. Minha filha, Rosana, estava no quarto dela.

De repente, senti um beijo no rosto. Assustada, chamei minha filha, que estava grávida naquela época, para que viesse ao meu quarto dormir comigo. Ela veio, deitou-se e adormeceu, virada de costas para mim.

Tentei dormir também, mas ouvia barulhos no quarto, sentia puxar minha coberta... Eu chamava a Rosana para ver o que estava acontecendo. Ela não se mexia.

Em um determinado momento, quando eu estava deitada, de barriga para cima, senti que pegaram no dedão do meu pé e começaram a chacoalhá-lo. Minha perna subia e descia...

Fiquei desesperada e a minha filha não se virava para mim, não acordava. Então, levei a mão para mexer nela, acordá-la. Em vez de tocar na minha filha, senti que segurava um bracinho de bebê.

Para ter certeza que realmente era um bracinho de criança, comecei a apalpá-lo. Foi quando segurei em uma mãozinha. Soltei o bracinho rapidamente, assustada, e ouvi uma gargalhada de criança dentro do meu quarto.

Havia passado a noite acordada e já estava amanhecendo. Depois de ouvir a gargalhada, aquilo tudo parou. Consegui dormir.

Sonhei que estava contando para minha mãe o que aconteceu, tudo o que havia passado naquela noite dentro daquele quarto. Minha mãe, no sonho, disse que não era apenas uma criança que estava me assustando, mas um menino e uma menina. Ela revelou os nomes. Acordei, mas nunca consegui me lembrar como se chamavam.

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).