Perdas virtuais também magoam

Ver esta cena e não se emocionar é impossível...
Sou um fã incondicional de séries norte-americanas. Aliás, filmes e séries são as principais obras de arte deles.

Atualmente, eu e minha família acompanhamos seis séries: Lost, Grey's Anatomy, Supernatural, Heroes e Smallville. Assistimos Ghost Wisperer também, mas estamos atrasados. As outras, vemos no máximo dois dias após serem transmitidas nos EUA. Baixamos, com legenda, pela internet.

Minha admiração por séries vem de longe. E o estranho é que você acompanha o desenrolar de uma trama e acaba conhecendo tudo sobre os personagens principais, como se fossem pessoas de verdade que você conhece na vida real.

Meu cérebro tem um pequeno problema. Ele tem dificuldades de assimilar rapidamente uma perda virtual de uma real. Então, quando recebo o impacto de uma morte na série, fico atônito, muitas vezes catatônico, e acabo chorando. Depois, fico ruminando aquela perda um tempão...

Um episódio de Arquivo X, por exemplo, em que o Agente Mulder desaparece, a parceira dele, Dana Scully, diz nos minutos finais ao FBI que ele está morto. E o episódio termina. Comecei a chorar ali, mesmo sabendo que ela iria dizer isso... Estranho, né...

Nesta segunda-feira, aconteceu algo semelhante. Eu, minha amada amante e meu filho adoramos Grey's Anatomy, porque é uma série emocionante. Mexe com a gente e tem um roteiro maravilhoso. É sempre surpreendente, principalmente nos finais de episódios.

Assistimos ao último da quinta temporada. Fui avisado pelo amigo Junio Souza que iria me emocionar muito e ser surpreendido. Estava preparado. Nada iria me surpreender...

Ledo engano...

Dois personagens principais morrem ao mesmo tempo! Isso mesmo, dois!!!! Não deveria nem revelar isso para não estragar a surpresa de quam acompanha, mas foi demais. Não chorei, mas voltei a ficar catatônico, como se tentasse compreender o que aconteceu... A forma como aconteceu... E até agora não consigo acreditar que não vão mais aparecer...

Enfim, não poderia deixar de escrever sobre isso. Não controlamos nosso cérebro, então, não há como dizer a mim mesmo para mudar.

O baque foi forte e meu filho percebeu, foi me abraçar. Expliquei a ele o que estou escrevendo para você. Para este blogueiro da segunda idade, perdas virtuais também magoam, e muito!

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).