11 de setembro: terroristas são os americanos


É impossível esquecer aquele 11 de setembro de 2001. Foi um dia triste, com muitas mortes e cenas tristes.

Infelizmente, aqueles ataques serviram para que os Estados Unidos invadissem o Iraque e fizessem o que bem entendessem naquele país. Tudo isso em nome da segurança americana.

Nove anos depois, onde estão as armas de destruição em massa?

Aproveito a data, então, para reproduzir os discursos de dois soldados veteranos que fizeram parte da invasão ao Iraque.

O primeiro, enviado por Ag. Cardoso, é de Mike Prysner. Suas palavras são fortes e mostram a verdade por trás do discurso de guerra. Ele fala em racismo contra o país invadido, diz se envergonhar do que teve que fazer.

"Disseram-nos que lutaríamos contra terroristas. O verdadeiro terrorista era eu, e o verdadeiro terrorismo é essa ocupação", afirma.


O outro ex-soldado é Dale Anderson. "Eu perguntava aos meus companheiros: não estamos aqui para encontrar armas de destruição em massa? Eles riram de mim. Então, perguntei: estamos aqui para ajudar este povo? E riram novamente".

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.