O último episódio de Smallville

Cena final de Smallville, quando Clark mostra o uniforme
Não me lembro ao certo quando comecei a assistir à série norte-americana Smallville, que contava a história do Superman ainda adolescente. Acho que foi por causa do SBT, que transmitia dublada e com tantos cortes que muitas vezes você não entendia direito o que estava acontecendo.

Como sou apaixonado pelas aventuras do homem de aço, decidi acompanhar. A série, que começou em 2001, tinha uma história envolvente, um roteiro muito bom, personagens bacanas. A trilha sonora, então, era demais. Tenho dois CDs.

Com o tempo, comecei a baixar episódios da internet. Baixei inclusive o começo, que não tinha acompanhado. Descobri que o SBT chegava ao ponto de cortar a introdução do episódio. Ou seja: você começava a assistir depois da abertura, como se fosse o começo a partir dali, e ficava sem saber o que havia acontecido para chegar naquele ponto. Uma aberração da TV de Silvio Santos.

Acompanhei a série religiosamente nesses dez anos. Mesmo depois da quarta temporada, quando a história começou a ficar fraca, continuei firme, como um bom fã. Esperava ansiosamente ver o protagonista Tom Welling voando e vestindo o uniforme azul e vermelho, com o "S" no peito.

Personagens iniciais da série, em 2001
Lembro-me de cenas maravilhosas. A que mais me emociona até hoje aconteceu na segunda temporada, quando Clark encontrou Dr. Virgil Swan, interpretado por ninguém menos que Christopher Reeve, o Superman mais famoso da história. O próprio Tom Welling já disse em entrevista que essa foi a gravação mais emocionante de toda a série.

Aliás, os vários personagens do filme estrelado por Reeve participaram de Smallville, como Annette O'Toole, que foi Lana Lang e na série fazia Martha Kent, a mãe de Clark que virou senadora. Ela se encontrou na quarta temporada com Margot Kidder, que foi Lois Lane e na aparição meteórica se passou por uma "amiga" do Dr. Virgil.

Marc MacClure, o fotógrafo Jimmy Olse, interpretou um cryptoniano que também vivia na Terra. Outro personagem marcante de Superman, Terence Stamp, que fez o General Zod, foi a voz do pai de Kal-El. Ele não quis participar de Smallville por achar "coisa de jovem". Emprestou apenas a voz mesmo.

Outros atores que também ficaram marcados por Superman participaram, como Dean Cain (As aventura de Lois e Clark), que foi um cientista visão em Smallville. E mais: Lynda Carter, a Mulher Maravilha, fez o papel da mãe de Chloe (Allison Mack).

Já a protagonista de outra série antiga, Helen Slater, que foi a Supergirl, participou como Lara, a mãe biológica de Kal-El.

Veja neste vídeo uma montagem mostrando a maioria das participações na série.

Lex reaparece no último episódio: a legenda diz tudo...
Smallville marcou época na TV. Fez com que prestássemos atenção no talento de Michael Rosenbaum, que fez Lex Luthor como ninguém. E o maior vilão da história e meu personagem predileto: Lionel Luthor, feito com maestria por John Glover.

Uma cena memorável foi quando o pai colocou o filho em um santório. De um lado de uma parede de vidro, a cena mostrava Lex com uma camisa-de-força. Do outro, Lionel de costas, colocando a mão no vidro, ao som de uma música melancólica linda.

Destaque também para John Schneider, que fez Jonathan Kent e nos deixou muito tristes quando saiu da série com a morte do pai do super-herói. Foi seu espírito que entregou o uniforme para Clark no episódio final, uma justa homenagem.

O uniforme aparece para Clark na Fortaleza da Solidão
Nos bons tempos da série, Chloe Sullivan arrasava, mesmo não existindo oficialmente nos quadrinhos. Depois virou uma hacker cheia de mistérios e perdeu um pouco a graça, mas não o charme e aquele sorrisão fantástico.

Kristin Kreuk fez uma excelente Lana Lang. Linda e talentosa, também deixou a série mais pobre quando saiu.

Alguns personagens das temporadas finais não tinham graça em minha opinião. Oliver Queen (Justin Hartley), Major Zod (Callum Blue), Kara Kent (Laura Vandervoort) não me agradaram. Com a saída de Rosenbaum, Cassidy Freeman tentou fazer uma vilã à altura, com Tess Mercer, mas também não marcou.

Outra cena inesquecível foi o voo de Clark no primeiro episódio da quarta temporada. Ele estava dominado pela cryptonita vermelha e foi atrás do avião de Lex. E o piloto, ao captá-lo no radar, soltou: "É um pássaro, um avião?"

O espírito de Jonathan Kent entrega o uniforme ao filho
A décima e última temporada terminou capengando. Foi ao ar no último dia 13, nos Estados Unidos. O roteiro foi fraco, os vilões mais ainda, e Clark vivia em eterna luta consigo mesmo para saber se seria o super-herói ideal.

Irritava ao ver todo mundo sendo contaminado pelos poderes dele, inclusive Lois Lane, que foi muito bem interpretada por Erica Durance. O rapaz passou a vida aprender a lidar com superaudição, supervelocidade, entre outros. Bastava alguém absorver seus poderes que já sabia fazer tudo...

O último episódio foi fraco e decepcionante para um fã que esperava tanto e tinha uma expectativa tremenda. A melhor parte foi o retorno de Rosenbaum à série, voltando a dar vida a Lex Luthor. Não li nada a respeito para ser surpreendido e pulei muito na sala quando vi seu nome nos créditos iniciais.

E a Chloe, então, que se resumiu a mãe do filho com Oliver Queen depois de ser tão heroína quanto o próprio Superman!!

Superman de Tom Welling: dá pra ver apenas a capa...
O tão esperado voo aconteceu, mas tão rápido que quase não deu para apreciar. Em minutos Clark coloca o uniforme e salva o mundo, infelizmente em uma versão digital escancarada. Não se vê Tom Welling como Superman parado ou voando mais perto. Tudo muito distante e rápido.

A cena final foi linda, quando ele abre a camisa e mostra o "S" no peito ao som do tema de Superman de Reeve. Mas decepcionante ao mesmo tempo, porque para por ali.

Que droga! Por que não mostrar ele voando pela cidade, por exemplo, deixar a gente se emocionar um pouco??!!

Fiquei muito chateado com o final. Esperava demais e nada... Que pena...

Para compensar, bem que Tom Welling poderia protagonizar uma nova série: simplesmente Superman! Como fã, vou torcer para isso, mas sem muitas expectativas, eu prometo...

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).