Michel Teló, o novo rei do Brasil


O título deste post é exagerado, sim, mas serve para chamar a atenção do que este rapaz de 30 anos vem conquistando com a música chiclete "Ai se eu te pego". Desde Carmem Miranda, não se via um cantor brasileiro fazer tanto sucesso internacional - e olha que a Carmem era portuguesa...

Independente de se gostar da música, deveríamos comemorar, sentir orgulho. Quando um fenômeno assim desponta, as pessoas tendem a querer saber mais dele, a querer conhecer mais o país de sua origem. E isto é bom para o Brasil, que possui muitos artistas que também poderiam fazer sucesso lá fora.

Uma reportagem de 15/01/2012 do Fantástico, da TV Globo, mostrou como o rapaz é humilde e como a música cantada por ele está na boca de grande parte dos europeus. Esta humildade emociona. E ver o primeiro mundo cantando em português é demais!!!

Infelizmente, ele precisa gravar uma versão em inglês para poder entrar no mercado caipira norte-americano, tão acostumado com a própria língua que detesta filmes com legenda e não poder entender a letra. Só o resto do mundo pode, eles não...

Por falar em letra, a música gera polêmicas. Uma amiga jornalista escreveu que não se pode comparar Michel Teló com Carmem Miranda. Respondi a ela, em tom de brincadeira, que "Ai se eu te pego" não pode, mas "Tico-tico no fubá" tá liberado? Imagine esta letra nos anos 1930, 1940?! Imagine como criticavam o estilo "tropical" da baixinha!!

Outra amiga, educadora, reclamou da sexualidade da letra em uma discussão no Facebook. Como professora, é contra. E está certíssima. A letra é carregada de erotismo, mas esse tipo de canção já é tradicional no Brasil. Músicas com sentidos dúbios ou abertamente "besteirentas" são cantadas por todas as idades. Lembrei a ela até do "Atirei o pau no gato", letra que incentiva maus-tratos aos animais e mesmo assim é considerada infantil. Vai entender... O tema dá uma tese de mestrado.

Outro amigo lembrou-me, também no Facebook, que "Garota de Ipanema" é muito executada lá fora e tem mais qualidade. Concordo também, mas ela nunca conseguiu ser primeiro lugar em tantos países europeus, desbancando Adele e Rihana... Se tivesse conquistado, estaria tão feliz quanto!

Não defendo a letra da música, que é mais uma entre tantas em um país onde muitos gringos acham que andamos pelados. Defendo a abertura do mercado internacional fonográfico para um brasileiro, independente do ritmo que canta. E torço para que seja o primeiro de muitos.

Quem sabe o que virá depois de Michel Teló? Quem sabe a letra é um prenúncio de que o resto do mundo vai "pegar" mesmo nossa música!!! Nooossa!!! Assim você me mata!!!

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.