Deus não pede dízimo nem voto







A denúncia contra o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, de enriquecer com o dinheiro dos fiéis, é apenas a ponta do iceberg.

As acusações são feitas pela emissora do bispo Edir Macedo, que já apareceu em rede nacional ensinando aos seus pastores como tirar dinheiro do povo e até passou alguns dias na cadeia. Ou seja: o sujo falando do mal lavado.

Aliás, este termo, 'sujo falando do mal lavado', foi usado pelo pastor Silas Malafaia para criticar na imprensa a chamada "Guerra Santa" entre os dois. Não se esqueça que Malafaia é o mesmo religioso que pediu aos seu seguidores, sem qualquer constrangimento, parte do dinheiro do aluguel... Quem é sujo? Quem é mal lavado?

Não é de hoje que a fé das pessoas é usada para conseguir dinheiro. A própria Igreja Católica faz isso há séculos e, com tanto poder, falando em nome de Deus e se apresentando como o único meio de chegar a ele, conseguiu construir até um país: o Vaticano.

Esse dinheiro arrecadado é chamado de dízimo. Os fiéis contribuem geralmente com o que podem para ajudar na manutenção da igreja, católica ou evangélica. Alguns chegam a entregar todo o pouco que têm, deixando a família passando por necessidades na esperança de progressos na vida prometidos por religiosos sem escrúpulos.

Deus não pede dízimo. Aliás, não pede nada a ninguém. O que está na bíblia foi escrito pelo homem e não por ele. Não há provas de que tenha falado com qualquer "escolhido", mas sempre se aproveitaram da ingenuidade das pessoas para que acreditassem nisso. Então, o que é Deus? Ele realmente existe? Eu acredito que sim, mas não sentado em um trono, com barba branca, definindo os destinos de todo mundo. Isso é história para criança entender seu significado.

Deus não é um ser, mas uma forma de agir. Ele está naquela pessoa que se dedica a ajudar seus semelhantes; está em quem esquece o medo e enfrenta perigos para salvar alguém; está em quem recebe você com um sorriso, um abraço, um aperto de mão. E possui os seus anjos. Eles são de carne e osso e estão na Terra para auxiliar seus caminhos. São pessoas que ensinam você, acompanham seus passos em busca do bem e do crescimento.

O inferno não existe, muito menos o diabo. O que existe é o mal realizado pelos próprios humanos. O demônio é a parte ruim de cada um de nós. Deus não faz nosso destino. Nós é que fazemos e pagamos por nossos atos. A vida é um bumerangue. Tudo que fazemos, recebemos de volta. Principalmente o mal.

A religião é uma invenção necessária para que possamos seguir ensinamentos pregados pelos bons pastores. Um delegado de polícia me disse, certa vez, que se todo mundo tivesse uma e a seguisse, não haveria tantos crimes nem drogados. Concordo com ele. É preciso temer alguma coisa, senão o caos prevalecesse.

O nome de Deus é usado em vão há séculos. Serve de motivo para matar, destruir, fazer guerras. E até para pedir votos. Foi o que fez descaradamente o prefeito de Araçatuba (SP), Cido Sério (PT), ao usar ano eleitoral para "entregar a chave da cidade" a Deus. E muita gente acreditou que isso era verdadeiro, comemorou em redes sociais. A verdade é que o voto dos evangélicos é importante. Tanto que se cogita no meio político que um pastor possa ser o vice de Cido nestas eleições. Uma "orientação" de Deus, é claro...

Escrever sobre religião é mexer com um ninho de vespas. Acho todas elas válidas se forem para o bem, mas sou contra que templos não paguem tributos ao município ou Estado como qualquer contribuinte. Existem muitos religiosos que trabalham e cuidam com carinho do seu rebanho. Conheço alguns.

Não estou generalizando, mas citando fatos. Há lobos demais com pele de cordeiro, de olho apenas no seu dinheiro e no seu voto. Não deixe a religião cegá-lo. Abra seus olhos e sua mente. Não seja mais um a usar o nome dele em vão ou culpá-lo por suas atitudes impensadas. Seu paraíso, ou inferno, está aqui mesmo na Terra. E é você que constrói.