Você acha que faz falta nas redes sociais?


Facebook, Twitter, Orkut, Google +, Pinterest, Instagram... Quem consegue acessar tanta rede social diariamente? E para quê? Ficar por dentro do que os amigos fazem? Ser popular? Fico me perguntando isso ao visitar estes sites. É um vício, parece que você não tem vida virtual se não estiver inscrito em pelo menos duas dessas redes sociais e ficar compartilhando cada coisa legal que encontrar, se não der sua opinião sobre algo que viu na TV...

Isso é típico do ser humano. Primeiro, ficar criando clones de coisas que dão certo - veja quantas redes sociais com o mesmo objetivo simplesmente porque as pessoas gostam. Depois, ter conta em todas elas para experimentar, afinal, meus amigos também têm. É moda...

Em "Alegria, Alegria", Caetano Veloso já perguntava, em 1967, quem conseguia ler tanta notícia. Isso porque ele falava apenas de jornais e revistas da época. E agora, com tantos sites, blogs e redes sociais despejando um monte de informações constantemente?

Vamos refletir: não acessar o Facebook deixa você com a sensação de que as pessoas estão sentindo sua falta? Que precisa avisá-los de sua ausência temporária ou até mesmo que vai dormir?

Bobeira!

A não ser que alguém esteja lhe paquerando ou precisando falar com você, o restante vai apenas cumprir uma rotina e lhe marcar em alguma postagem sem se preocupar se vai ou não ver. Esperam apenas um "curtir". Se responder ou não, tanto faz.

São tantas pessoas passando pelo mural, como carros em uma avenida, que fica difícil sentir falta de alguém, principalmente se tem mais de 300 amigos. Se frequenta um local, mesmo virtual, todos os dias, torna-se parte da sua rotina. Mas não significa que sua presença é indispensável.

Vou lhe dar mais um sintoma deste vício: você desliga o computador, mas fica com o celular ligado na internet - caso tenha um smartphone ou tablet -, checando para ver se alguém lhe mandou alguma mensagem ou se o que escrever foi "curtido".

Quer reduzir o vício?

Faça o seguinte: primeiro, determine um horário para verificar seus e-mails e todas as redes sociais que participa. Tente desligar o computador depois deste tempo e só volte a ligá-lo no dia seguinte, sem recorrer ao celular ou outro equipamento.

Será que consegue?

Verifique também, neste período, se os "amigos" virtuais sentiram sua falta. Talvez um ou dois "gatos pingados" se manifestem, mas apenas isso.

Calma, você não é impopular ou seus amigos lhe detestam. É o resultado da vida virtual regada a informação por quilo. Eu e você somos apenas parafusos pequenos dentro desta máquina monstruosa que só cresce cada vez mais. Depende de nós como dar importância a este parafuso em nossas vidas reais.

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.