Quanto custa ser um fotógrafo?


Nos dias de hoje, a fotografia tem dominado os hobbies de diversas pessoas. Seja o fanático pelas fotos ou simplesmente aquela pessoa que quer registrar belas imagens de eventos pessoais, essa prática tem se tornado parte da cultura. Com as novas tecnologias e a diminuição dos preços de diversas câmeras, ficou possível experimentar ser fotógrafo sem ser um expert no ramo.

   Texto de Julie Garcia   

Os preços baratearam conforme o passar do tempo. Antes, ser fotógrafo exigia tanto um conhecimento técnico maior e mais elaborado sobre as técnicas quanto um investimento pesado para conseguir os equipamentos, como flash, tripé e lentes. Com o maior acesso às tecnologias, é possível adquirir boas câmeras por valores menores, e explorar e aprender a operar diversas delas sem muitas complicações. Com a chegada do digital, o perfil da fotografia se modifica drasticamente. O acesso a ela se torna mais fácil e seus custos também diminuem, popularizando bastante essa área.

A fotografia, mais do que outras formas de arte, parte de uma observação e da prática. Por isso, mais do que equipamentos sofisticados e refinados, é necessário que o fotógrafo aprenda a lidar com seu material e adquira uma prática e estilo próprios. Assim, essa dependência da técnica e o custo operacional diminuíram muito. Profissionais, em geral, investem R$ 2.000 em uma boa câmera. Mas nem sempre as melhores lentes e o tripé mais caro garantem a melhor foto.

Atualmente, as novas tecnologias mostram que não é necessário ter a melhor câmera do mundo para tirar fotos esteticamente boas. As lentes que integram os smartphones, assim como novos aplicativos, permitem que um usuário comum possa clicar e editar as próprias fotos sem encontrar grandes dificuldades. O resultado, apesar das críticas de alguns dos profissionais da área, consegue satisfazer até os olhares mais críticos e surpreender em termos visuais.

A nova tendência de reviver as máquinas analógicas também tem feito com que esse tipo de fotografia esteja cada vez mais acessível. Tanto a moda vintage quanto um saudosismo pelas fotografias de filme e a época em que uma foto era tirada com mais preciosismo, as analógicas estão por toda a parte. Diversas câmeras passaram a ser produzidas e vendidas na internet por preços menores. O que é evidente, no entanto, são os gastos maiores com essa modalidade específica de fotografia. As câmeras não chegam a ser tão caras, mas exigem gastos com filmes e revelações. No mercado, existem modelos que não chegam aos R$ 300 e com os quais é possível produzir bons resultados. Os filmes, importados, custam em média R$ 65 - por três filmes de 36 poses.

Assim, para ser fotógrafo é mais importante saber estar independente dos valores e mais apegado a forma que você se sente mais confortável e com a qual produz os melhores resultados. Na hora de adquirir os equipamentos, vale botar na balança o quanto vale a pena investir e se é possível fazer o mesmo com os recursos já disponíveis.

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).