A falta de respeito com mortos e familiares nas redes sociais


É impossível para um ser humano racional entender o que leva uma pessoa a tripudiar sobre mortos e seus familiares nas redes sociais. Se a pessoa for famosa, então, chega a ser constrangedor ler mensagens de ódio ou divulgação de imagens sangrentas de vítimas por alguns desses "cidadãos".

Na vida real, a morte sempre foi um momento de respeito. Mas nas redes sociais muita gente ignora essas regras de comunidade. Não estão nem aí com quem perdeu um parente e com o sofrimento da família. Criticam a mídia pela repercussão do caso quando o morto é uma celebridade e alguns até divulgam fotos que expõem o corpo dilacerado ou afogado da vítima.

Tudo isso por qual motivo?

Por achar que é diferente e não deve seguir normas de convivência na sociedade? Para ter 15 minutos de fama, espalhando entre seus "amigos" esse tipo de imagem forte?

Quando morre alguém próximo dessas pessoas, na vida real, ela não vai ao velório e começa a fazer críticas. Também não distribui imagens do corpo dilacerado do morto entre os convidados do velório. Mas a frieza da tela de um computador acaba com qualquer regra de etiqueta moral.

Todos vamos morrer, é um fato. Mas como você gostaria de ser lembrado? Sorridente, ao lado de quem ama, ou despedaçado, afogado, baleado? A resposta é óbvia!

Então, antes de vomitar nas redes sociais palavras de ódio e espalhar esse tipo de foto, pense na própria família. Seus pais, irmãos, primos ou amigos gostariam de vê-lo assim?

O velho ditado ainda é a melhor forma para refletir: não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você. E mais: a vida é um bumerangue: tudo o que fazemos, volta pra gente!

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).