Por que tanta gente compartilha notícia falsa?


Por que será que é tão fácil enganar tanta gente em uma época em que basta uma simples consulta no São Google com o celular para encontrar alguma informação que desminta notícias falsas? Ingenuidade? Preguiça? Maldade?

Como jornalista, vivo me perguntando isso todos os dias, principalmente porque casos assim estão aumentando assustadoramente com a popularização do Whatsapp. Minha profissão foi relegada a desmentir boatos. Algo que é tão fácil de se evitar. Basta não acreditar em tudo que lê em uma fonte que não é confiável e logo compartilhar com os amigos, achando que está fazendo o bem.

Na cidade onde moro, em Araçatuba (SP), toda semana existe um novo hoax, nome oficial para este tipo de notícia falsa que se transforma em viral, ou seja, se espalha como uma doença. E quando é desmentido, tem uma grande repercussão, mas nada que chegue perto do estrago feito com a mentira.

Um homem, por exemplo, foi apontado como assassino de uma jovem desaparecida em Araçatuba. A foto circulou pelos Whatsapp e ele corria o risco de ser linchado, como foi uma mulher no litoral paulista acusada falsamente como bruxa. O verdadeiro assassino da jovem foi preso e confessou. E agora, como fica a vítima deste hoax bárbaro, que teve sua foto exposta? E as pessoas que compartilharam? Como serão punidas?

Essa ingenuidade em achar que tudo é verdade vem fazendo com que sites e blogs se especializem nisso. Criam mentiras envolvendo celebridades ou políticos em tom de deboche. Alguém acha engraçado e compartilha no Facebook. Mas outro logo acredita e faz o mesmo, mas chocado, com críticas, acreditando cegamente que uma assassina da família será apresentadora infantil na TV ou um deputado homossexual pretende alterar trechos da Bíblia. Outros, que também não tiveram a preocupação de pesquisar se é verdade, fazem a mesma coisa e, de tanto ser divulgada, a mentira vira uma "verdade forçada".

Há casos mais ingênuos, como dizer que um padre famoso foi excomungado da Igreja ou que a presidente Dilma pretende congelar novamente a poupança, como fez Collor, algo que hoje é proibido por lei. Logo esse tipo de notícia se espalha, principalmente em blogs políticos e sem credibilidade, fazendo com que muitos desses que compartilharam não acreditem mesmo quando desmentido, achando que estão tentando enganá-lo.

Recentemente, também em minha cidade, espalhou-se uma imagem forte de uma tragédia em estrada na qual um homem foi partido ao meio. Isso aconteceu em Rondônia, mas logo inventaram que era na região onde moro. E um amigo, sabendo da verdade, presenciou duas amigas conversando em um autoposto. Uma delas mostrava a foto no celular e dizia que havia presenciado, que passou pelo local quando aconteceu...

Até onde vai isso?

Não seja mais uma vítima deste tipo de enganação! Vivemos em um país democrático, onde todas as manifestações são possíveis, mas acho que deveria haver uma lei para impedir e punir os responsáveis por sites e blogs que publicam notícias falsas. E também quem ajuda a compartilhar nas redes sociais.

Falta educação? Não! Falta bom senso!

A solução é simples:

NÃO COMPARTILHE NOTÍCIAS FALSAS! 

VERIFIQUE ANTES DE COMPARTILHAR E SE INDIGNAR!

NÃO SEJA COAUTOR DE MENTIRAS NAS REDES SOCIAIS! 


O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).