ÚLTIMAS

6/recent/ticker-posts

Na oreia

O texto abaixo é sensacional! É de um típico blogueiro caipira, o advogado Carlos José Reis de Almeida (Cal), de General Salgado, na região de Araçatuba. Hoje, ele mora no Mato Grosso do Sul, mas não esquece as raízes e mantém o blog Proseando, que vale a pena visitar, pois ajuda a divulgar o nosso interior paulista.

Somos caipiras

Tenho o hábito de incomodar os amigos metropolitanos dizendo que eles são caipiras da cidade, pois apesar de instruídos, evoluídos, modernos e antenados, quando chegam ao interior ficam parecendo baratas tontas, demonstram um desconhecimento abismal sobre as nossas coisas.

Digo isso porque, infelizmente, ainda existem pessoas que apenas por terem nascido e crescido nos grandes centros urbanos, consideram-se seres superiores. Aparecem no interior se achando o máximo, mas não sabem se melancia nasce no chão ou em árvore.

Certa vez, um primo paulistano trouxe a General Salgado um amigo que nunca antes saíra de São Paulo: o rapaz tinha medo das galinhas que ciscavam no quintal!

Esses caipiras metropolitanos não sabem se a vaca é do rabo pra frente ou do rabo para trás! (Aviso aos caipiras da cidade: a vaca fica do rabo para a frente; atrás do rabo não existe mais vaca!)

De outra vez, na casa de um amigo paulistano tive que perder a paciência com um sujeito metido a besta, que se dizia o máximo e passou, sem motivo nenhum, a caçoar e ofender a gente do interior.

O bacana desandou a generalizar os caipiras, tratando-nos por ignorantes, analfabetos e atrasados. Talvez por conta do meu característico sotaque de interiorano paulista descendente de mineiros, a conversa veio contra mim e me vi obrigado a devolvê-la na mesma moeda:

- Você conhece Nova Castilho? São Luiz do Japiúba? Los Angeles? Las Vegas? Dallas?, perguntei-lhe.

- Não, não conheço!

- Então você é muito mais ignorante do que eu!, arrematei com certo desdém, sentindo-me vingado. Fui grosso, mas paguei-lhe na mesma moeda.

Meu amigo Pinga Fogo (Sidnei Constantino, para os chegados) conta que um dia desses apareceu na cidade um paulistano com a cara esfolada, que narrava, entusiasmado, suas aventuras em solo interiorano:

- Meu! Fui lá no sítio do titio, montei num cavalinho meio beginho... Foi cada pinote! Ôrra, que aventura, meu!

O salgadense Euflauzino Teodoro Castilho (1893-1964), conhecido como Coronel Eufrosino, um dos pioneiros da terrinha, quase foi vítima do próprio jeitão de caipira. Na primeira oportunidade em que foi conhecer a capital paulista, ficou maravilhado com a grandiosidade e a beleza dos prédios, surpreendeu-se com o tamanho de tudo. Passeando pela cidade deparou-se com o imenso prédio da sede do Banespa, naquela época um dos mais vistosos e imponentes da cidade, próximo ao Vale do Anhangabaú.

Enquanto admirava fixamente a construção, foi notado por um daqueles malandros da cidade, ditos espertalhões, que viu a possibilidade de passar um otário pra trás.

O sabido aproximou-se do caipira e puxou assunto. Ficou sabendo que Euflauzino era de General Salgado (“fica longe, perto do Mato Grosso”), que era sitiante, e que estava debutando na capital. Seguiu-se breve diálogo:

- O senhor gostou deste prédio?

- Nossa! Gostei demais.

- O senhor não se interessa em comprá-lo, preço de ocasião!

- Rapaz, como eu gostaria de ter esse prédio. Já pensou se eu voltar pra minha cidadezinha e contar pra todo mundo que eu comprei esse predião! O senhor está vendendo mesmo?

- Estou vendendo e muito barato.

- Eu tenho interesse sim, disse o salgadense. Mas dinheiro vivo eu não tenho. Tenho outro imóvel que posso colocar no negócio se o senhor aceitar. Podemos bater o martelo agorinha...

- Eu posso aceitar o seu imóvel, mas antes tenho que vê-lo, declarou o malandro, já contando com o sucesso do golpe.

Euflauzino chamou o paulistano esperto:

- Vamos lá ver o meu imóvel.

Caminharam algumas quadras, ele apontou o prédio da Estação da Luz:

- O meu é aquele, se você aceitar a gente troca “na oreia”!


COMENTE COM O FACEBOOK



COMENTE COM O DISQUS




COMPARTILHE

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Zé Marcos, é uma honra ter o meu causo publicado aqui no seu blog, onde venho sempre buscar alguma inspiração e muito aprendizado. Muito obrigado. O Proseando é atualizado semanalmente, espero a visita de todos. Abraço. (www.proseando-blog.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto e concordo..... rs
    Mas a gente do interior só faz sacanagem na capital também.... Lembro quando eu e outros colegas da Folha fomos a SP fazer um curso.
    No metrô da Sé passei por dois rapazes se beijando (fiquei inconformado com aquilo - nunca tinha visto algo parecido. Os rapazes eram boa pinta, daqueles que casariam com minha irmã).

    Espantantado, virei para duas faxineiras e soltei as pérolas:

    - Nossa, lá na minha cidade do interior não existe isso!

    A turma toda riu e me tirou de lá, com medo que os meninos fossem me bater.

    ResponderExcluir
  3. Boaaaaaa! Adorei o texto!
    Somos caipiras com muito orgulho, sô!

    ResponderExcluir
  4. Na oreia! rs Oreia por aqui é escraviário, estagiário. rs

    Sou destas citadas, caipiras da cidade. Minha mãe que veio do mato, sabe tuuuudo! Eu já tomei foi carreira de vaca (na cidade e aqui pelo Goiás). Que meda!! Mas foi sério, ela saiu disparada com sangue nos beiços de um abatedouro clandestino e imprensou meu tio no portão. Ou seja, a ideia era avançar casa adentro.

    Mas, ô textinho bem escrito. Que causo, sô! Pra mim, o sotaque do paulista do interior é muito forte mesmo. Lembro que a 1ª vez que ouvi me marcou muitíssimo. Meio cantado, lento mas t achei bonito.

    Agora, acho que não tem essa de interior ser tudo interiorzão não, pois o que há de mulher bonita, ex-miss por aí. Elas se vestem muito melhor até que da cidade (falo por mim). E, a real tb é que as cidades não cabem mais de gente. Exôdo total e fica tudo aqui mendigando, roubando, sem emprego .... Aí a qualidade cai por demais! ;(

    Logo, voltemos ao campo e antes do fim.

    ResponderExcluir
  5. Muitooooooooo bom!!! Amudoro ser do interior. Está certo que nasci em um interior perto da capital, mas que eu amo este interior longe de lá, ah! Isso eu amo! Afinal, sou do interior, não inferior, né? :P

    bjs bjs

    ResponderExcluir
  6. Texto jóia!!! Já morei na capital de Minas, cidade linda, masssss não troco meu interioRzão mas nem!!!(só se for pra ir pro litoral) rsrsrs....

    ResponderExcluir
  7. Caipiras com orgulho!

    Beeeeeeeeejo

    ResponderExcluir
Emoji
(y)
:)
:(
hihi
:-)
:D
=D
:-d
;(
;-(
@-)
:P
:o
:>)
(o)
:p
(p)
:-s
(m)
8-)
:-t
:-b
b-(
:-#
=p~
x-)
(k)