O último capítulo de Pantanal

Cheguei em casa na madrugada desta quarta-feira (13) já preparado para o que iria acontecer.

Tinha certeza que me emocionaria de novo, como aconteceu 18 anos atrás, quando assisti, sozinho, ao último capítulo da novela Pantanal, uma obra de arte de Benedito Ruy Barbosa, tamanha a simplicidade e beleza.

Quando assisti pela primeira vez, confesso que chorei copiosamente. Estava sozinho, em São Paulo, visitando meu irmão.

Chorei pelas tristes cenas e por problemas particulares que havia tido. Chorei porque não sabia qual seria meu futuro, pois havia deixado um emprego em Andradina e iria me aventurar em Araçatuba... Enfim, chorei porque sou chorão mesmo...

Quando cheguei em casa, nesta madrugada, minha amada amante me aguardava para assistirmos outra vez ao capítulo final da reprise da novela, 18 anos depois. Quanta coisa aconteceu com a gente neste período...

Disse logo ao meu filho, Michael, que ele se preparasse para chorar também. E lá fomos nós para a aventura... Não deu outra...

Em minha cabeça, muitas lembranças. Nunca me esqueci de José Leôncio (Cláudio Marzo) perguntando ao Velho do Rio, que na verdade é seu pai, por que nunca havia aparecido para ele. O velho Joventino vai embora, e Zé Leôncio assume seu lugar.

Aquela relação de pai e filho me fez lembrar de meu falecido pai. Então, não resisti. A família descobrindo o corpo do Rei do Gado do pantanal, sorrindo, em sua cadeira predileta...

O caixão seguindo na chalana, os filhos rezando na frente da embarcação, com seus chapéus no peito...

Mas uma cena especial me deixou emocionado demais. Não me lembrava dela. A viúva Filó (Jussara Freire) sentada em uma cadeira, sozinha, como se esperasse a morte chegar... A câmera distanciando...

Lembrei-me de minha mãe, que perdeu o gosto por muita coisa nesta vida depois que meu pai morreu...

E, sempre triste, parece esperar o dia em que vai se juntar a ele... Só quem perdeu alguém tão importante sabe o que ela está passando...

Choramos todos. E o Michael até soluçava, abraçado comigo, porque também se lembrou do avô que tanto o amava...

Para tentar descontraí-lo, brinquei que quando eu morresse iria me tornar o Velho da Internet, que apareceria como um fantasma nos blogs da vida e iria assustá-lo, mandando mensagens do além pelo MSN...

Não adiantou muito...

Não poderia ir dormir sem escrever este post. Se um dia me perguntarem qual a melhor novela que já assisti até hoje, vou dizer que é Pantanal, com certeza.

Abaixo, um vídeo com cenas do capítulo final da novela. Assista ou simplesmente volte a se emocionar...

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).