Siga o Zemarcos

Vídeos

>> VIDEOAULA SOBRE A LINHA DO TEMPO DO FACEBOOK

O vídeo é um pouco antigo, mas pode ajudar quem tem dificuldade de entender a linha do tempo do Facebook

Posted by Blog do Zemarcos on Sexta, 19 de junho de 2015


>> A MODELO LUNA ALVES INDICA O BLOG DO ZEMARCOS
Luna Alves indica o Blog do Zemarcos

Luna Alves, a Barbie, convida os internautas para acessarem o Blog do Zemarcos

Posted by Blog do Zemarcos on Sexta, 19 de junho de 2015

Parceiros

Arquivo do blog

DESTAQUES

sábado, 4 de julho de 2015

A necessidade de protestar... Mas só nas redes sociais

Jose Marcos Taveira - 4.7.15



Todo santo dia existe um protesto nas redes sociais. Para o bem ou para o mal, não importa. É preciso ter um!

O objetivo de uma grande massa de manobra virtual é achar um alvo para destilar sua ira. Se escreveu alguma coisa considerada errada por alguém popular que leu e não entendeu, o autor é martirizado.

Entender o contexto da publicação não é importante, mas atacar a pessoa, usar palavras como "lixo", "safado", "inútil", "ridículo" e compartilhar com seus amigos para receber uma curtida é o objetivo de muitos carentes por aprovação.

Se alguma figura pública, ou não, também for atacada, lá vem a tsunami de "defensores". Nesse caso, há a necessidade de mostrar como a vítima foi injustiçada, de compartilhar para seus amigos saberem a sua opinião, pois eles precisam disso, ou seja, saber o que você pensa para seguirem suas vidas - como se isso realmente importasse...

Logo surgem os #somostodosalgumescolhido. E a hashtag vai parar nos assuntos mais quentes do Twitter, como se isso também tivesse alguma importância real na vida dos brasileiros. Pronto! E esse grupo de desesperados por um protesto fica satisfeito.

No dia seguinte, a "vítima" defendida na hashtag vai dizer alguma coisa que possa simplesmente ser sua opinião. Se os "populares" não gostarem, logo vão criticá-la de forma irada e um montão de cordeirinhos, que não precisam entender o contexto do que a "ex-vítima" disse, colocam as garras virtuais de fora e arrasam a pessoa, transformando-a na vilã do dia.

E assim segue mais um dia normal nas redes sociais...

Na vida real, uma boa parte desses defensores/revoltosos prefere tomar uma cerveja a fazer qualquer manifestação contra a violência no seu bairro, o preço do combustível ou mesmo os buracos de rua. No dia da eleição, viram novamente cordeirinhos e votam em quem o "popular" de seu grupo mandar ou naquele que o comprou com alguma benesse.

E assim segue mais um dia normal na vida real...

quinta-feira, 25 de junho de 2015

A falta de respeito com mortos e familiares nas redes sociais

Jose Marcos Taveira - 25.6.15



É impossível para um ser humano racional entender o que leva uma pessoa a tripudiar sobre mortos e seus familiares nas redes sociais. Se a pessoa for famosa, então, chega a ser constrangedor ler mensagens de ódio ou divulgação de imagens sangrentas de vítimas por alguns desses "cidadãos".

Na vida real, a morte sempre foi um momento de respeito. Mas nas redes sociais muita gente ignora essas regras de comunidade. Não estão nem aí com quem perdeu um parente e com o sofrimento da família. Criticam a mídia pela repercussão do caso quando o morto é uma celebridade e alguns até divulgam fotos que expõem o corpo dilacerado ou afogado da vítima.

Tudo isso por qual motivo?

Por achar que é diferente e não deve seguir normas de convivência na sociedade? Para ter 15 minutos de fama, espalhando entre seus "amigos" esse tipo de imagem forte?

Quando morre alguém próximo dessas pessoas, na vida real, ela não vai ao velório e começa a fazer críticas. Também não distribui imagens do corpo dilacerado do morto entre os convidados do velório. Mas a frieza da tela de um computador acaba com qualquer regra de etiqueta moral.

Todos vamos morrer, é um fato. Mas como você gostaria de ser lembrado? Sorridente, ao lado de quem ama, ou despedaçado, afogado, baleado? A resposta é óbvia!

Então, antes de vomitar nas redes sociais palavras de ódio e espalhar esse tipo de foto, pense na própria família. Seus pais, irmãos, primos ou amigos gostariam de vê-lo assim?

O velho ditado ainda é a melhor forma para refletir: não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você. E mais: a vida é um bumerangue: tudo o que fazemos, volta pra gente!

domingo, 21 de junho de 2015

Blog do Zemarcos chega à 6ª versão com várias novidades

Jose Marcos Taveira - 21.6.15



Menos de cinco meses depois de a quinta versão entrar no ar, o Blog do Zemarcos mudou outra vez. Agora, o layout é ainda mais responsivo, ou seja, se adéqua a qualquer tela de computador, tablet ou smartphone. E as fotos estão bem maiores.

A logomarca está mais destacada e foram incluídas várias novidades. Uma delas é a barra do menu superior, que não se mexe. Assim, o internauta poderá correr a tela e acessar as seções do blog quando quiser.

Esta, aliás, é outra novidade. Dentro do menu superior há submenus com destaque para vários assuntos, e em todos eles há dois temas principais, inclusive com fotos. Por exemplo: ao clicar em "Tecnologia", o leitor verá os itens Facebook, Chrome, Tutoriais e Instagram. E ainda terá dois artigos que se destacaram.

Em todos os posts agora estão destacadas tags (marcadores). Elas servem para que o leitor encontre facilmente outros temas relacionados. Há também uma seleção dos principais marcadores no menu lateral, que incluem temas e nomes de amigos que já colaboraram com o blog.

Também no menu lateral esquerdo há abas para duas áreas: as mais lidas da história do blog e os últimos posts, que pode ajudar quem está lendo um texto e quer ver rapidamente quais os outros mais recentes.

Outra novidade é o botão para posts aleatórios. Ele escolhe randomicamente qualquer texto. Na capa, há o menu do lado esquerdo, que reúne entrevistas feitas com este blogueiro ao longo dos últimos anos.

Outra novidade é o botão para compartilhar textos no Whatsapp. Ele agora aparece apenas na versão mobile, automaticamente - o que é o correto, não é mesmo!

A área de comentários pelo Facebook foi valorizada, ficando próxima do fim do texto.

São novidades que visam ajudar o internauta a navegar e a modernizar o espaço, que está próximo de completar dez anos.

Boa leitura!

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Por que tanta gente compartilha notícia falsa?

Jose Marcos Taveira - 18.6.15



Por que será que é tão fácil enganar tanta gente em uma época em que basta uma simples consulta no São Google com o celular para encontrar alguma informação que desminta notícias falsas? Ingenuidade? Preguiça? Maldade?

Como jornalista, vivo me perguntando isso todos os dias, principalmente porque casos assim estão aumentando assustadoramente com a popularização do Whatsapp. Minha profissão foi relegada a desmentir boatos. Algo que é tão fácil de se evitar. Basta não acreditar em tudo que lê em uma fonte que não é confiável e logo compartilhar com os amigos, achando que está fazendo o bem.

Na cidade onde moro, em Araçatuba (SP), toda semana existe um novo hoax, nome oficial para este tipo de notícia falsa que se transforma em viral, ou seja, se espalha como uma doença. E quando é desmentido, tem uma grande repercussão, mas nada que chegue perto do estrago feito com a mentira.

Um homem, por exemplo, foi apontado como assassino de uma jovem desaparecida em Araçatuba. A foto circulou pelos Whatsapp e ele corria o risco de ser linchado, como foi uma mulher no litoral paulista acusada falsamente como bruxa. O verdadeiro assassino da jovem foi preso e confessou. E agora, como fica a vítima deste hoax bárbaro, que teve sua foto exposta? E as pessoas que compartilharam? Como serão punidas?

Essa ingenuidade em achar que tudo é verdade vem fazendo com que sites e blogs se especializem nisso. Criam mentiras envolvendo celebridades ou políticos em tom de deboche. Alguém acha engraçado e compartilha no Facebook. Mas outro logo acredita e faz o mesmo, mas chocado, com críticas, acreditando cegamente que uma assassina da família será apresentadora infantil na TV ou um deputado homossexual pretende alterar trechos da Bíblia. Outros, que também não tiveram a preocupação de pesquisar se é verdade, fazem a mesma coisa e, de tanto ser divulgada, a mentira vira uma "verdade forçada".

Há casos mais ingênuos, como dizer que um padre famoso foi excomungado da Igreja ou que a presidente Dilma pretende congelar novamente a poupança, como fez Collor, algo que hoje é proibido por lei. Logo esse tipo de notícia se espalha, principalmente em blogs políticos e sem credibilidade, fazendo com que muitos desses que compartilharam não acreditem mesmo quando desmentido, achando que estão tentando enganá-lo.

Recentemente, também em minha cidade, espalhou-se uma imagem forte de uma tragédia em estrada na qual um homem foi partido ao meio. Isso aconteceu em Rondônia, mas logo inventaram que era na região onde moro. E um amigo, sabendo da verdade, presenciou duas amigas conversando em um autoposto. Uma delas mostrava a foto no celular e dizia que havia presenciado, que passou pelo local quando aconteceu...

Até onde vai isso?

Não seja mais uma vítima deste tipo de enganação! Vivemos em um país democrático, onde todas as manifestações são possíveis, mas acho que deveria haver uma lei para impedir e punir os responsáveis por sites e blogs que publicam notícias falsas. E também quem ajuda a compartilhar nas redes sociais.

Falta educação? Não! Falta bom senso!

A solução é simples:

NÃO COMPARTILHE NOTÍCIAS FALSAS! 

VERIFIQUE ANTES DE COMPARTILHAR E SE INDIGNAR!

NÃO SEJA COAUTOR DE MENTIRAS NAS REDES SOCIAIS! 


quarta-feira, 11 de março de 2015

Dez videoclipes nacionais inesquecíveis

Jose Marcos Taveira - 11.3.15


Os músicos brasileiros estão longe de produzir videoclipes cheios de efeitos especiais como os norte-americanos, o que não significa falta de criatividade. Muitas bandas e cantores nunca se preocuparam com isso ou não quiseram investir, o que é muito triste para os fãs.

Um bom exemplo disso é o Legião Urbana. Imagine se tivesse feito um belo videoclipe de "Faroeste Caboclo". Já "Eduardo e Mônica" virou longa só depois de anos após a morte de Renato Russo e o fim de uma das maiores bandas do País.

Abaixo, separei dez clipes nacionais inesquecíveis, baseado em dois critérios: a qualidade da música e a criatividade do filme.

É claro que você pode discordar, afinal, essa avaliação é muito subjetiva, depende de uma série de fatores, como idade e experiências. Mas duvido que possa discordar de todos os escolhidos.

Na opinião deste humilde blogueiro da segunda idade, o grupo carioca O Rappa é o melhor na hora de transformar suas músicas em filme. Por isso, os três primeiros lugares são da equipe liderada pelo vocalista Falcão. Suas letras são fortes e os clipes retratam muito bem a realidade do povo brasileiro.

 O que sobrou do céu (O Rappa) 


 Minha Alma (O Rappa) 


 O Salto (O Rappa) 


 João (Alma D'Jem) 


 Pelados em Santos (Mamonas Assassinas) 


 Segredos (Frejat) 


 Pirueta (Chico Buarque e Os Trapalhões) 


 Memórias (Pitty) 


 Diário de um Detento (Racionais MCs) 


 Eduardo e Mônica (Legião Urbana) 
Anterior
ENTREVISTAS COM O AUTOR