1º Enesiar: literatura, internet e fim do livro

Duxtei (e), Consa, Durvalina, Arnon, Luceni, Flávio e Zemarcos. Foto de Maria Antônia Dario
O 1º Enesiar (Encontro de Escritores Independentes de Araçatuba e Região), realizado ontem (18) em Araçatuba, discutiu temas interessantes envolvendo literatura e internet e até a possibilidade do fim do livro. O mais bacana foi saber que a UBE (União Brasileira de Escritores de Araçatuba), promotora do evento, estuda mudar seus estatutos para incluir blogueiros ligados à literatura em seu quadro de membros.

O presidente nacional da instituição, Joaquim Maria Botelho, participou do evento. Em sua palestra, mostrou todo o seu tradicionalismo ao apontar apenas o lado ruim da internet. Ele citou, com razão, blogueiros que copiam textos de escritores sem citar autorias ou apenas identificando como autor desconhecido. Mas se esqueceu - ou não quis lembrar - que grandes escritores também estão na blogosfera.

Mas em entrevista à repórter Aline Galcino, publicada hoje Folha da Região, concordou que a internet contribui para a divulgação da literatura e que essa falta de respeito aos autores não é específica da rede mundial de computadores. Na reportagem, afirmou ainda que a UBE está alterando seus estatutos para regimentar quem escreve para a internet, seguindo critérios de qualidade, conteúdo e elaboração intelectual.

O secretário de Cultura de Araçatuba, Hélio Consolaro, discordou do palestrante e lembrou da presença de escritores na blogosfera, como ele mesmo, divulgando seu trabalho. Consa criticou o "endeusamento" do livro, o que faz com que literários tradicionalistas e extremistas não enxerguem as novas mídias como parceiras. E foi além: disse ser favorável ao fim do livro, o que ajudaria a manter muitas árvores. Consa também lembrou que a secretaria de Cultura não valoriza apenas a literatura, mas todos os artistas ligados a ela.

Também participei da mesa de discussões. Falei sobre a criatividade dos artistas e que escritor é escritor em qualquer mídia, não apenas no livro. Defendi a inclusão de blogueiros escritores na própria UBE (lembrei, inclusive, que a entidade tem blog) e nas academias de letras, como já escrevi aqui. Não acredito no fim do livro ou do jornal impresso. Mas é preciso abrir a mente para o que a tecnologia nos oferece.

É necessário, como bem disse o Consa, acabar com o tradicionalismo latente e perceber que escrever um livro é algo para quem tem condições de pagar pelo serviço. O livro sempre vai ter importância em nossas vidas, mas todo radicalismo é burrice.

O coordenador das discussões, Antonio Luceni, também não concordou com o fim dos livros e alfinetou Consa: se o fim dele ajuda a manter árvores, o uso da tecnologia aumenta o lixo digital. Para ele, nada melhor do que folear páginas de um livro novo, sentir o cheiro, tocar. E usou um termo que achei muito engraçado: para ele, os tablets, como o Ipad, são livros travecos, pois simulam apenas o virar de uma página.

A mesa de discussões reuniu ainda Duxtei Vinhas, que também faz parte da UBE; a vereadora Durvalina Garcia, que falou sobre as leis municipais de incentivo aos escritores; o jornalista Arnon Gomes, que lançou um livro sobre a história do carnaval em Araçatuba e trabalha em mais dois projetos da Folha da Região, parceira do evento; e o marqueteiro Flávio Borges, representando a Editora Somos, da Folha, que orientou sobre a confecção de livros, modelos, etc.

Antes da nossa mesa, participaram da abertura o prefeito Cido Sério, a chefe de gabinete da Secretaria Municipal de Educação, Patrícia Soares, Durvalina, o escritor Menalton Braff, Botelho, Consa, a editora-chefe da Folha da Região, Maria Antônia Dario, e Tito Damazo, ex-presidente da Academia Araçatubense de Letras.

O evento teve ainda palestra com Braff, sobre a literatura juvenil. Ele, que concordou com os argumentos do Consa, também fez sessão de autógrafo de "Bolero de Ravel", seu mais recente trabalho.

Agradeço ao amigo Luceni pelo livro autografado que recebi e pela oportunidade de discutir um tema tão importante. Sem contar que encontrei no evento outros bons amigos, como Yago Monteiro, André Bernardes, Sirlei Nogueira, AG Cardoso, José Hamilton Brito, Celinha Villela e Ana Almeida (a poetisa dos sonhos).

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).