Consertando o jegue

O cabra da peste vinha montado no jegue, quando, de repente, o bicho empaca. E como todo mundo sabe, jegue, quando empaca, não sai mais do lugar de jeito nenhum.

O sujeito fez de tudo e nada. Lá na curva ele vê uma faixa: "Conserta-se jegue". Entre aliviado e curioso, ele caminha até lá e conta o problema.

O dono da oficina manda seu ajudante em um caminhão para rebocar o jegue. Chegando no local, o guindaste levanta o animal, coloca no caminhão e toca para a oficina.

Quando chegam, o dono da oficina fala para o ajudante:

- Severino, bota ele na rampa.

O guindaste desce o jegue numa rampa. Aí, o dono da oficina pega dois tijolos, chega por trás e dá uma tijolada no saco do jegue. Santo remédio: o jegue sai numa disparada!

O dono do jegue, abobado com a eficiência do serviço, pergunta:

- Mas e agora, cumé que eu pego o jegue?

O dono da oficina fala para o ajudante:

- Severino, bota o homi na rampa!!

Enviado por
Ventura Picasso

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).