A mamãe pardal e seus 4 filhinhos

Os filhotinhos esperando a mãe na área oca do ferro
Era uma vez uma mamãe pardal muito corajosa. Ela estava prestes a botar seus ovinhos e procurava um lugar seguro, longe dos inimigos naturais.

Depois de muito procurar, ela encontrou um cano de ferro que servia de base para o telhado da área de uma casa. Havia uma parte oca e quente em que ela depositou suas preciosidades. Mas tinha sempre que ser muito rápida, porque no quintal havia uma cadela muito atenta que vivia tentando chegar até ela.

Logo, quatro filhinhos da pardal nasceram. E, claro, viviam chamando a mãe para alimentá-los. A mamãe pardal estava sempre com algum bichinho no bico para levar até eles. Pousava no muro da casa, observava a cadela... Como um tiro, voava até o cano, deixava ali o alimento e fugia, assustada.

Ninho foi improvisado em base para telhado
A cadela não alcançava o ninho, mesmo pulando, mas sua simples presença, aproximando-se, já fazia com que a ave voasse.

Os filhotes começaram a crescer. Em pouco tempo estavam prontos para deixar o ninho, voar como a mãe, seguir sua vida, formar as próprias famílias. Mas nem todos conseguiram...

Dois deles caíram do ninho e aconteceu o que a mamãe pardal tanto temia: foram mortos pela cadela. Ela não os devorou. Os corpinhos foram encontrados no quintal.

Os outros dois sumiram. Provavelmente, conseguiram escapar e viver. O ninho, hoje, está vazio, pronto para acolher mais uma mamãe pardal corajosa. Detalhe: a cadela também continua lá, à espera...

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.