Animais, redes sociais e corrupção

Titã, filhote supostamente enterrado vivo
que  motivou revolta nas redes sociais de todo o País
A morte de um cãozinho, espancado pela própria dona na frente de uma criança, e um filhote supostamente enterrado vivo ressuscitaram nas redes sociais uma antiga modalidade de comportamento das pessoas: o linchamento em praça pública.

Quem aprontava na idade média - e até hoje em alguns países atrasados - era morto com pedradas na frente da população, sem piedade. Uma massa era influenciada, se indignava e realizava "justiça" com as próprias mãos. Mesmo quem não sabia nada a respeito, jogava sua pedra para se sentir bem perante os outros.

O estranho daquela época é que faziam isso com pessoas simples, mas nunca com os grandes vilões, os coronéis, senhores feudais que usavam e abusavam do povo. Aí tinham medo e se acovardavam.

Em pleno século 21, continuamos os mesmos. Linchamos virtualmente pessoas que maltratam animais, mas na hora de se mobilizar contra outras covardias, como a corrupção, um câncer em toda a sociedade, nos acovardamos. É muito fácil compartilhar a foto de alguém que não conhecemos e chamá-la de assassina. Então, por que não pegar toda essa gana de justiça, o que é uma virtude, e usar também para mudar a situação que este país vive há séculos?

Maltratar e matar um animal são coisas horríveis e merecem toda essa indignação nas redes sociais. No caso da enfermeira, por exemplo, a mídia só entrou na história por causa da mobilização virtual. E olha que já havia acontecido há quase um mês e a investigação do caso estava a passos de tartaruga...

Mobilizações idênticas aconteceram com a moça que teria criticado nordestinos e com o cãozinho Titã, de Novo Horizonte (SP), supostamente enterrado vivo. É maravilhoso ver o povo unido em causas como essas. Seria melhor ainda vê-lo unido contra políticos e outros brasileiros corruptos, que acabam com nossa saúde.

É por causa deles que faltam médicos quando você e sua família precisam; é por causa deles que a escola do seu filho está caindo aos pedaços e os professores não são remunerados adequadamente; é por causa deles que os policiais também não estão devidamente aparelhados para enfrentar a bandidagem; é por causa desses corruptos que a impunidade reina; é por causa deles que não há fiscalização suficiente para punir os maus motoristas no trânsito...

Nosso país é rico. A arrecadação de impostos é suficiente para atender nossa população. Mas os corruptos desviam, enchem os bolsos às custas da fome e da miséria do eleitor, que é comprado facilmente.

Você não fica indignado com vereadores, deputados e senadores ganhando uma fortuna enquanto a maioria da população sofre com salário mínimo? E quando furtam ou roubam sua casa e nada de achar o ladrão? E o assassino que deveria estar na cadeia, pagando pelo crime, mas fica livre, graças a uma legislação ultrapassada e a falta de vontade em resolver isso?

As redes sociais são a voz do povo no século 21. Temos que usar este poder para mudar nosso país, ir além.

E os hackers, que invadiram a conta da moça que atacou os nordestinos no Twitter? Isso é fichinha perto da inteligência e conhecimento técnico destas pessoas. Esse poder poderia também ser usado para denunciar corruptos, invadir seus sistemas e encontrar provas para que sejam presos! Pensem nisso! Esses hackers seriam verdadeiros heróis, fariam história, Robin Hoods contemporâneos.

Chega de abusarem tanto do Brasil. Outros países não nos respeitam porque nem mesmo nós nos respeitamos. Aceitamos, inertes, dilapidarem nossas riquezas, achando que não há jeito.

Há jeito, sim! Nós mesmos somos a solução. Pense nisso, compartilhe esta ideia. Denuncie! Revolte-se! Coloque a foto dos corruptos também no Facebook. Eles são assassinos de uma nação inteira!

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.