A internet e os 'valentões de monitor'


É interessante avaliar o comportamento de algumas pessoas no mundo virtual. Ao contrário do real, se transformam, ficam valentes, querem opinar sobre tudo. Muitas se tornam agressivas, acusam a tudo e a todos, fazem campanha contra pessoas e empresas e, se houver alguma resposta no mesmo nível, apelam para o drama, sentem-se vítimas, acham que querem calar, censurar...

Chamo esse grupo de "valentões de monitor". São, em sua maioria, pobres almas que não conseguem nada no mundo real. Toda a valentia acaba quando você o encontra e olha em seus olhos. São valentões apenas na frente de um monitor de computador, onde não podem ver a vítima e ter uma reação imediata.

Quando os blogs se tornaram populares e qualquer pessoa passou a ter seu espaço para escrever o que bem entender, os "valentões de monitor" estavam lá. Criavam nomes fortes para tentar expressar alguma credibilidade, usavam listas de e-mails para propagar suas verborragias e tentar se valorizar.

Como falar mal das pessoas ou fofocar dá acesso, sentiam-se os tais. Mal sabiam - ou nem queriam saber - que eram e ainda são motivo de piada. Alguns se proclamam até hoje defensores da liberdade da informação, aqueles que têm a "coragem" de publicar o que a grande mídia não faz, espalhando um monte de boatos e bobagens por onde passam.

Não bastasse isso, acessam outros blogs para achincalhar. Atacam, xingam, querem impor sua visão distorcida sem ao menos argumentar de forma inteligente.

Com o crescimento das redes sociais, os "valentões de monitor" correram para lá. Usam seu perfil para criticar de forma ferrenha tudo que possa ser seu alvo. E, é claro, há o corporativismo do grupo. Recebem o apoio de seus pares, elogios, compartilhamentos. Acham, lamentavelmente, que todos acreditam no que dizem. Pobres coitados...

A politicalha também está cheia desses grupos. Alguns são pagos ou recebem benefícios para agir assim. Desprezam amizades, empresas que possam ter trabalhado, tudo em nome de sua valentia comprada, ideologia barata. Sentem-se paladinos, quando na verdade não passam de meros bobões, para usar um termo simples e educado.

Infelizmente, nossa vida está cheia de "valentões de monitor". E lamentavelmente algumas pessoas acreditam neles, e até compartilham suas sandices. Vejo várias teorias da conspiração no Facebook, divulgadas à exaustão, principalmente quando dizem que "a grande mídia comprada" não divulga.

Não se deixe levar por maluquices. A internet está cheia de grandes blogueiros e perfis nas redes sociais que valem a pena acessar e fazer amizade. Despreze esses grupos para ter uma vida virtual mais saudável. Escolha com carinho o que compartilha com seus amigos. Não alimente esses "valentões". Não se esqueça: a próxima vítima pode ser você.

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).