Google Chrome: vale a pena experimentar

Se você é daquelas pessoas que nunca se interessou por outro navegador na internet a não ser aquele que está no seu computador, que veio junto com o seu sistema operacional Windows, este post talvez não o interesse. Mas se interessar, saiba que existe vida fora daquele programa acessado pelo ezinho azul, o Internet Explorer, que você abre todos os dias para ler notícias, navegar em sites de relacionamentos, como Orkut, e até mesmo ler blogs.

Seu principal concorrente chama-se Firefox, e está na versão 3, ganhando cada vez mais adeptos. Tudo ia muito bem para ele até que a Google, aquela empresa que talvez você só conheça por fazer buscas na internet com seu buscador, decidiu lançar mais um produto - isto mesmo, ela tem vários, inclusive o Orkut e o Youtube que você deve conhecer. O Google Chrome foi preparado em silêncio, mas o barulho de seu lançamento, no último dia 2, o fez galgar o terceiro lugar entre os navegadores em poucos dias.

As pessoas que decidiram deixar de lado o medo - ou preguiça - de usar apenas o Internet Explorer todos os dias e testar este novo produto, não se arrependeram. Primeiro, porque é muito mais leve que seu concorrente líder de mercado e até mesmo que o Firefox. O Chrome abre rapidamente e carrega as páginas também de forma acelerada. Segundo, porque é básico, simples como o próprio buscador do Google.

Antes de deixar de lado o Firefox, que uso desde o seu lançamento, preferi testar o Chrome no trabalho e em casa, com máquinas diferentes. Logo após a euforia com a rapidez, vem a frustração com a falta de alguns recursos, como o preenchimento automático de formulários, o que facilita quando você acessa alguma conta que pede um login - basta digitar a primeira letra que o resto surge como sugestão. Mas isso não tirou o brilho do novo browser.

Em seguida, outro obstáculo para uma mudança de navegador padrão: manusear os favoritos é mais complicado. Apesar de ele importar todos os endereços do Firefox e do IE, o gerenciador é simples demais. No Firefox, é possível dar uma palavra-chave para a página guardada. Por exemplo: na barra de navegação, posso digitar apenas uma letra e dar enter que abrirá o endereço do site. Ótimo para quem adora atalhos pelo teclado, como eu. A novidade do Chrome é que ele traz miniaturas dos últimos sites visitados na página inicial, como padrão.

Vamos em frente. Para o Google, o mais importante em um navegador hoje em dia são as abas, que abrem várias páginas em um programa só. Por isso, elas ficam na parte de cima da barra de navegação - onde você digita os endereços. Lá na parte de cima existem dois símbolos: um "x" dentro da aba, para que possa fechá-la, e um "+" fora dela, para criar uma. No Firefox, se você clica no sinal de "x", mesmo tendo apenas uma aba aberta, ele a fecha e deixa uma página em branco. Se fizer isso no Chrome, ele fecha o programa. Fiz várias vezes por engano. Hábito...

Não desisti. Seguindo os testes, fiz um download. Outra diferença. Ele mostra um ícone no canto esquerdo do programa, escondido. Meio estranho, mas a gente se acostuma também.

Aí vem a melhor parte. Os serviços do próprio Google abrem muito mais rápido ainda, como o Gmail (serviço de e-mail), Orkut (site de relacionamento) e Youtube (site de vídeos). O único problema no último é que ele fica em inglês e não muda, mesmo que você escolha a bandeirinha da Brasil como linguagem. Tentei várias vezes e nada.

Para um navegador que chegou há poucos dias, já mete medo na Microsoft (empresa que desenvolve o Internet Explorer) sim, afinal o Google não é uma fundação como a Mozilla, que mantém o Firefox com doações - inclusive do próprio Google.

Então, se ainda não testou, arrisque-se. Não entendeu direito como funciona? Experimente para entender e tirar suas dúvidas. 

Seja mais curioso e saia do marasmo do IE. Pare de dar desculpas que não liga muito para rapidez na internet. Você gosta de dirigir ou mesmo viajar em um carro moderno e rápido, não é? Então, por que não experimenta um navegador moderno e rápido também?

Em tempo: a Mozilla já anunciou que o Firefox 3.1 será mais rápido ainda que o Chrome. Viva a concorrência!

Para saber tudo sobre o Chrome, acesse o site oficial do programa.


Este post é dedicado ao meu amigão Yago Monteiro, que me enviou e-mail pedindo para que avaliasse o novo navegador e lhe desse minha opinião sobre usá-lo ou não como padrão. Espero que ajude!

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista com especialização em Comunicação Social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).