Ás vezes, é melhor nem perguntar...

Enviado por
Cléber Marques


Joãozinho está dentro do carro do seu pai, quando avista duas prostitutas na calçada.

- Pai, quem são aquelas senhoras?

O pai, meio embaraçado, responde:

- Não interessa filho... Olhe antes para esta loja... Já viu os lindos brinquedos que tem?

- Sim, sim, já vi. Mas quem são as senhoras e o que é que estão fazendo ali paradas?

- São... São... São senhoras que vendem na rua.

- Ah, sim?! Mas vendem o quê??

- Vendem... Vendem... Sei lá! Vendem um pouco de prazer.

O garoto começa a refletir sobre o que o pai lhe disse. Quando chega em casa, abre a carteira com a intenção de ir comprar um pouco de prazer. Estava com sorte! Podia comprar R$ 50 de prazer! No dia seguinte, vai ver uma prostituta e pergunta-lhe:

- Desculpe, minha senhora, mas pode-me vender R$ 50 de prazer, por favor?

A mulher fica admirada, e por momentos não sabe o que dizer. Mas como a vida está difícil, ela aceita. Porém, como não poderia agir de forma 'normal' com o garotinho, leva-o para a casa dela e prepara-lhe seis pequenas tortas de morango.

Já era tarde quando o garoto chega em casa. O seu pai, preocupado pela demora do filho, pergunta-lhe onde ele tinha estado. O garoto olha para o pai e diz:

- Fui ver uma das senhoras que nós vimos ontem, para lhe comprar um pouco de prazer!

O pai fica amarelo:

- E... E então... Como é que se passou?

- Bom, as quatro primeiras não tive dificuldade em comer; a quinta levei quase uma hora e a sexta foi com muito sacrifício, tive quase que empurrar para dentro com o dedo, mas comi mesmo assim. Ao final, estava todo lambuzado, melequei todo o chão, e a senhora me convidou para voltar amanhã. Posso ir?

O pai desmaiou.

O blogueiro José Marcos Taveira, ou Zemarcos, é jornalista há 30 anos, com especialização em comunicação social. Mora em Araçatuba, cidade do interior de São Paulo (Brasil).
Saiba mais sobre o autor.